Pimenta Rosa

spicy and girlie

Archive of ‘Livros’ category

29 de April de 2009

Mudando de Assunto… Livros famosos que decepcionam

*** Esse post contém spoilers do livro “O Morro dos Ventos Uivantes”

Hoje eu inauguro uma nova tag aqui no Pimenta Rosa: Mudando de Assunto.

Uma vez por semana, religiosamente (espero), vou tirar um dia pra postar algo não relacionado com makes e afins.

Não, não me odeiem, mas é que eu gosto taanto das minhas leitoras que quero falar sobre mil assuntos com elas!
:)

E de make eu falo todo dia, néam? Vamos falar de outra coisa toda quarta feira?

Bom, vou começar falando de livros famosos que depecionam o leitor. Livros não, livro, no singular.

Tipo, quando eu acabei de ler Eclipse *suspiro*, eu fiquei meio órfã de livros. E agora? Sair de Forks pra ir pra onde?

Vocês não odeiam quando isso acontece? A gente tá super envolvida em uma história e.. o livro acaba! Eae? Fazer o quê? 
Sorte que Crepúsculo é uma série, mas o mardito do último livro só sai em Junho. 

Sendo a traça que sou, eu simplesmente não consigo ficar sem ler alguma coisa. Qualquer coisa. Serve receita de bolo, rótulo de shampoo. Preciso cansar uzóio com umas letrinhas miúdas.

Quem me inspirou no meu próximo livro foi a própria Bella sem sal, nem açúcar. Ela não vivia de nariz enfiado no “Morro dos Ventos Uivantes”?
Ok. Vamos ver o que tem de tão bom nele assim.

Pensei em comprar, mas aí vi que tinha na beloved biblioteca da faculdade (chamada carinhosamente de “bíbou” – sim gente, eu apelidei a biblioteca. Sou nerd assim, haha) e foi de lá mesmo que eu tirei.

O enredo é mais ou menos assim: Heathcliff e Cathy são apaixonados um pelo outro, mas existem mil coisas pra impedí-los de ficar juntos. Além deles mesmo.

Mas quem espera uma história de amor, com o casal principal meigo e apaixonado chorando as pitangas por estarem longe um do outro, pode tirar o cavalo da chuva. Tá, eles choram as pitangas por não estarem juntos, mas gentchi, que povo mais barraqueiro. Sério.

Heathcliff e Cathy vivem aquele amor bandido de “você não vale nada mais eu gosto de você”, sacam?
Ele é um perverso horroroso e ela é uma mimada insuportável. Os dois mais se xingam do que trocam juras de amor. Só falta sair tapa na cara.
E tipo.. na metade do livro, ela morre. Oi, comofaz????

Tá bom que eu tô metendo o pau num clássico eterno, então, como diria Milena, “corre e desvia das sapatadas”, haha. Sério, gente, o livro sucks total. É só desgraça digna de novela mexicana, mas sem o casal apaixonado no final. O povo é super barraqueiro, vive se xingando, se odiando, quebrando a casa, se batendo. Uó. 

A única alma que presta é a Catherine, filha da Cathy com outro cara. E ela ainda se apaixona pelo filho do Heathcliff, que é uma beecheenha (será que pode falar isso? haha) muito da chata e fresca.

Aff. 
Li, incrédula, até o final. Mais de inconformidade pelo livro ser tão decepcionante do que por vontade. Juro que até o último segundo eu esperava uma reviravolta. Um gancho pra um final fantástico. Um bilhete escrito “pegadinha do malandro”. Nada.

É daqueles livros que acabam do nada, sabe?

Desculpem, desculpem, desculpem por ofender um clássico, mas confesso que foi a maior decepção. O que aquela chata da Bella vê nele, eu não sei.

Daí eu fiquei super frustrada e bookless novamente. 
Voltei à bíbou querida e amada e fuçando numas estantes desconhecidas achei “A máscara da sedutora”, da Victoria Holt. Abstenham esse nome tosco de novela mexicana/filme pornô, porque a história tá muito boa.

É a sagade uma menina chamada Suewellyn (JURO que é o nome dela mesmo. Não tô zuando vocês. Nem eu seria capaz de inventar um nome piriguétchy desses) e da família dela, Anabel e Joel. Acontece que ela é uma filha bastarda e a história dela é contada ao longo do livro, explicando também o affair que resultou na garota.

Nunca ouvi falar de Victoria Holt. Prazer, gatha. 
Wikipedia me contou que esse nome é um dos muitos pseudônimos da dona Eleanor Hibbert e que ela foi uma das mais prolíficas (?) escritoras inglesas de ficção do mundo. Ahn? Tá bom pra vocês?

As coisas que a gente descobre à toa na biblioteca.

Enfim, até agora recomendo o livro, a história é bem legal. Uma coisa meio The Tudors com menos putaria.

O duro é que o livro é tão velhaco que só tem em sebos. Recomendo o Estante Virtual, maior do Brasil. 

Pra vocês verem que nome não é tudo, né. Eu tava super empolgada com o “Morro dos Ventos Uivantes”, achando que ia ser aquela história de amor de chorar até ficar cega com os olhos inchados, abraçar o travesseiro e me perguntar “Por quêêê, Meu Deus, eu não nasci nessa épocaa?”

Mas não. Aliás, acho que se Heathcliff e Cathy vivessem nos dias de hoje, morariam num cortiço e ia baixar a polícia toda noite. 

Ô, povo grosso.

PS: Esqueci de contar. Suewellyn tem uma meia irmã: Susannah. Hahahahahhahahahah!
8 de March de 2009

Crepúsculo – Histórias Alternativas

Acho que jajá eu tomo é ovada do povo que aparece nesse blog, mas entendam, eu sou uma twilight-freak. Com fervor. Com amor. Com vontade de pegar Edward AND Jacob (se a Bella não tem que escolher, porque eu tenho? hein? hein?).


Enfim, estava eu hoje, choramingando não mais do que o habitual pelo fim eminente do meu querido e mais racionado que comida de náufrago Eclipse, procurando informações na internet de quando Breaking Dawn vem pra mamãe aqui em português, quando fui levada pelo google no site da Intrínseca, num fórum onde os fãs escrevem finais alternativos para os livros da série.

Tive que aplaudir a idéia, gente. 
No melhor estilo de “Não gostou? Faz melhor”, os integrantes do fórum escrevem o que eles acham que deveria ter acontecido com Bella e cia.

Pra quem já leu os três livros, viu o filme, assistiu à todos os vídeos e entrevistas do youtube, vagou por essa terra sem lei que é a internet em busca de qualquer fofoca que fosse, uma novidadezinha sequer sobre a saga, é um bom modo de passar o tempo.

Ainda não li nenhum dos finais (foi uma dureza achar o link), mas confesso que tô ansiosa.

O legal é que eu mesma já tive vontade de fazer isso. Quantas coisas mais faria Harry Potter se eu pegasse a minha caneta BIC. 
Mas, como me senti muito dork, só ficou na minha cabeça mesmo. E quem sabe? Vai que eu roubava a história da J. K Rowling, ficava ricaça e fazia a cabeça da galera?

É algo a se considerar, hein minha gente?