Pimenta Rosa

spicy and girlie

January 24th 2012 archive

24 de January de 2012

Meeting Chanel…

Há algum – pouco – tempo, eu achava que ter qualquer algo da Chanel fosse algo super distante da minha realidade.

Quando a marca começou a ser vendida na Sack’s, achei interessante, mas um absurdo pagar R$120,00 num mísero batom.

Bom, não foi a primeira vez em que eu cuspi pra cair na testa quando, meses depois, lá estava eu escolhendo um Rouge Coco pelos swatches do Temptalia. Ok, o preço continuava sendo um impropério, mas eu estava profundamente chateada naquele dia e a possibilidade de me agradar com um mimo (detesto essa palavra, mas não consigo pensar num batom Chanel como outra coisa que não exatamente isso, rs) de uma das marcas mais famosas e clássicas – e a de pagar uma parcelitcha de dez reais – me pareceu uma idéia muito boa.

Mais de um ano depois, não me lembro porque estava chateada, as parcelas já acabaram, e meu fiel ‘Chintz’ continua firme e forte aqui, do lado do laptop enquanto escrevo esse post. Acompanhado por outros membros dessa família que eu não achei que fosse constituir tão cedo: uma mini família Chanel que mora na minha estante de makes, rs.

Alguns deles vocês já me viram usando nesse post aqui, e hoje eu resolvi passar todos!

A foto não tá muito boa… mas o resto ficou muito pior =P

Pele:

- Base Pro Lumière Professional Finish Makeup SPF 15 na cor ’20 Clair’, Chanel;

- Corretivo Dermacolor na cor ‘D-3′, Kryolan (gente!!!);

- Soleil Tan de Chanel Bronze Universel Embelisseur Effet Hâlé (de Orleans e Bragrança e Ornellas Borges), Chanel usado como blush;

- Poudre Douce na cor ’40 Lilas’, Chanel.

Olhos:

- Lápis Cromagraphic na cor ‘NW15/NC20′, MAC na linha d’água;

- Máscaras ‘Grow Luscious’ Waterproof, Revlon e ‘Hypnôse’, Lancôme (nhé).

Lábios:

- Rouge Coco na cor ‘Chintz’, Chanel

Bom, vamos por partes.

Depois do ‘Chintz’, o outro produto que adquiri foi a Pro Lumière quando vi a Babi Fonseca usando. Gente, era uma coisa sublime a pele daquela menina, simplesmente não conseguia me concentrar no menu quando fomos jantar juntas. Acho que perguntei umas quatro vezes o que é que ela estava usando e ela ria e me respondia que era a Pro Lumière.

Eu e a Jess descobrimos que vendia ela na Cosme-de e ficamos doidas: ela comprou um pó da marca; eu, a base de pele de seda.

Olha, sofremos horrores com essa compra, porque pegamos não só a greve dos nossos correios, mas descobrimos que os do Japão também estavam em greve!

Fechamos a compra em Agosto e só fui ver a minha base querida no comecinho de outubro. Mas chegou, isso é o que importa!

Bom, essa base é o seguinte: tem cobertura mediana, cobrindo um pouco, mas não totalmente, minhas manchinhas e ocasionais (leiam-se: eternas) espinhas; acabamento “semi-matte luminous” (pra mim, é mais dewy-glowy-pretty-rich-lady); um cheiro suave, mas bem gostoso. Não craquela, não fica com cobertura artificial, é bem linda de se ver no rosto. Se não fosse o fato de eu notar que ela deixa minha pele meio oleosa e não dura o dia todo.

A Babi mesma disse que não é uma base pra todos os dias, e não é mesmo. E não é porque a gente tem que economizar porque é cara, mas porque não vai bem com a minha pele se eu usar sempre mesmo. Não fica confortável em mim e acaba derretendo e pedindo muito por um pózinho, sabe? O que é atípico pra mim, já que minha área mais problema em se tratando de oleosidade são as bochechas.

Hoje, excepcionalmente, usei com um primer por baixo e achei que fez uma grande diferença. Não a usei por muito tempo, mas notei que estava praticamente a mesma coisa quando fui tirar, umas cinco horas depois.

Eu acho que quem tem a pele seca e/ou mais madura deve se dar muito bem com ela, porque dá um viço, um frescor que é uma coisa de louco. Talvez seja a minha cútis que não é Primeiro Mundo o suficiente pra essa base, quem sabe se eu respirasse ares europeus e comesse croissants de Paris, e não do Benjamin Abraão a coisa toda não funcionasse. Mas, por hora, é uma base bonita que eu vou usar com primer ou misturada com outra que “segure” mais a onda da Pro Lumière, e não me vejo comprando ela novamente, não. Ainda mais porque ando viciada em BB Creams, mas isso quero contar em outro post!

O Bronzer (Soleil Tan de Chanel) é um outro produto famoso, e preferido de um monte de gente. Mas, quem me convenceu a comprá-lo mesmo foi a Muhsine. Convenceu é pouco, acho que fui seduzida por toda malemolência turca/inglesa dela e pelo glow das maquiagens da desgraçada. Gente, sem condições aquela mulher, até quando a maquiagem quer ser brega (o que é raro), ela fica linda, e vivia usando o tal bronzer.

A embalagem dele é maravilhosa, e vem muuuuito produto (30g)! Acho que se você usá-lo todos os dias, mesmo assim ia demorar um tempão pra acabar.

Fiquei com medo da cor ser meio alaranjada, mas não é, e ainda tem partículas de brilho douradas beeem pequenininhas. A consistência é bem curiosa e um dos motivos pelos quais ele faz mais sucesso: ele é quase que aerado ao toque, mas é bem firminho, não sei explicar. O cheiro é como o da base, só que mais gostoso: bem leve, de coisa fina mesmo, sabe? Parece cheiro de algum creme, muito bom. Não dá pra sentir depois que aplicamos no rosto, o que é uma pena…

Gosto de usá-lo com o ‘Angled Top Kabuki F84′ da Sigma, que é um pincel mais firminho. Tentei com o 187, mas só fez sujeira e o resultado ficou esquisito. Sugiro algo bem firminho, tipo esse pincel, ou o kabuki da Bourjois, por exemplo, que também é bom.

Eu achei que a duração do ‘Soleil de Tan’ fosse melhor, pra ser bem sincera. Eu diria que é muito boa pra um blush/bronzer em creme, mas não se compara à duração do blush da Vult (em pó), por exemplo, que é o que mais dura na minha pele.

Se é o melhor bronze que já usei? Hum… could be. Não sou muito vivida nessa área, mas ele é um produto muito bom de usar, o acabamento é o mais natural e saudável possível, tanto pra fazer contorno quanto pra usar como blush. A meu ver, a única coisa “ruim” é o fato da embalagem ser tão grande, o que não facilita muito em viagens. Mas aí sou só eu sendo fresca! haha

O Poudre Douce é um produto fantástico! Foi, com certeza, minha melhor aquisição da Chanel.

Eu odeio pó, né, e esse é perfeito pra quem quer assentar a maquiagem sem ficar com o rosto, literalmente, empoeirado. Aliás, estou pensando em fazer um post de pós pra quem não gosta de pó, o que vocês acham?

Ele vem em várias tonalidades, e cada uma tem uma função: iluminar, neutralizar vermelhidão, ajudar a corrigir, etc.

Não me lembro exatamente o que faz o roxo – e nem tem esse tom no site da marca mais, miu -, mas comprei animada pela perspectiva de ser tipo um híbrido entre pó e iluminador, sabe? E acertei!

Ele faz bem isso que eu falei: assenta a maquiagem sem matificar, deixando um ar meio etéreo no rosto da gente. Gostei muito mesmo, ele é bem fino e o acabamento é delicado e diferente de qualquer outro pó que eu tenha usado.

Apesar dele ser lilás, é muuuito clarinho e com brilhos bem delicados, e não confere nenhum cor na pele da gente.

Esse eu compraria de novo com certeza, já que até o pincelzinho achatado dele quebra um belo galho na bolsa, fora o espelho giga.

O ‘Peregrina’ foi um presente de aniversário da querida Jess, e ele é tããão lindo, gente. ♥

É até bem parecido com o ‘Chintz’, mas numa versão puxando pro coral. São dois tons bem básicos e discretos, um batom bom pra sempre ter na bolsa e passar sem pensar muito no resto da make ou produção. Eu acho esses tons mais “de rica” do que os vermelhões, porque sempre parece tipo aquele make de estudo-na-FAAP, sabe? Hahahah

Tipo, pele iluminada e uma corzinha nos lábios. E essa “corzinha” é que é o tal, isso me inferniza muito, porque é algo tão discreto, que parece um pouco a boca da pessoa… mas não é.

Minha mãe não é muito fã, sempre que eu passo ela diz que não passei é nada, mas eu gosto muito, ainda mais que a minha boca é mais pigmentada do que eu gostaria, então acho que eles aparecem, sim. O ‘Peregrina’ tem um quê mais de verão, e o ‘Chintz’, pra mim, é atemporal.

Apesar de gostar muito das cores dos meus dois Rouge Coco, prefiro o acabamento do Rouge Allure, que eu tenho na cor ‘Darling’. A embalagem é mais legal, também, daquelas tipo do Duda Molinos (que eu sempre quis saber como era, porque não tenho nenhum batom da marca): de apertar o fundo, que “salta”.

O ‘Darling’ é… muito especial. Literalmente, meu queridinho. Eu achei um swatch no Temptalia que me deixou enlouquecida.

Obviamente que não fica nunca a mesma coisa em mim do que na Christine, mas mesmo assim ficou uma coisa divina. Olha, eu acho que ele, o ‘Hug Me’ e o ‘Hue’ são meus grandes amores. Eu também amo o ‘Snob’, mas esses três são diferentes. Em mim, o ‘Darling’ fica um rosinha meio cor de boca discreto. Ele tipo deixa a minha boca mais beijável, hahah! Batons de boa moça, todos.

A diferença dele pros outros dois Rouge Coco é que ele é mais  hidratante, desliza melhor nos lábios, fica com um acabamento semi-gloss bem bonito, e nem por isso deixa de colorir bem os lábios. Sinceramente, quem quiser investir em apenas um, recomendo que escolham alguma cor dos Rouge Allure, pois acho que ficam muito mais bonitos e são mais fáceis de passar.

Em resumo, compraria de novo, com toda certeza, tanto o Poudre Douce quanto o ‘Darling’. São dois produtos que valeram o investimento (mesmo que as parcelas na Sack’s ainda demorem um pouco a vencer, hahah), pois são realmente especiais. O batom acho que não é algo exatamente único, os glaze da MAC ou um da Sephora que eu também amo acho que tem efeitos parecidos, e talvez tenham cores similares. Mas, mesmo assim, o combo embalagem + perfume + cor + acabamento + fixação me fazem fiel.

O que eu achei muito legal foi perceber que a Chanel é ótima pra quem gosta de uma maquiagem tipo etérea, sabe? Os acabamentos são muito bons e interessantes, texturas que se adaptam bem à pele, nada parecendo artificial. Pra quem não gosta de pele matte estilo artificial-passei-pancake-neste-instante ou tem pele mais madura, que também sofre com makes que pesam ou marcam muito, deve gostar desses produtos.

Acho que compraria o bronzer de novo também, mas ainda preciso descobrir se um dia ele acaba, hahah!

Gente, vou ver se hoje ou amanhã, no mais tardar, respondo os comments do post passado! Ameeei, adoro quando vocês deixam uns bem giga, haha! E valeu pela solidariedade, é bom saber que não estou sozinha nessa angústia pós faculdade.

Sobre a formatura, é sábado! Agora mesmo vou sair correndo pra conferir se o lugar onde marquei de fazer cabelo não é uma biboca, e nem sei que penteado quero fazer ainda! Aceito sugestões! E, se der tempo, faço um post sobre isso, até pq quero treinar a make antes. Pode ser?

Ahhhhhh, e um PS muito especial, porque tô muito feliz: VOU NO SHOW DO LOS HERMANOS EM JUNHO!!! UHUL!1!!UM

Vem cá, Camelo, que eu puxo sua barba e vc me chama de Mallu!

Agora é sério, deixa eu correr lá e me certificar que não vão me deixar com pega-rapaz!